Petição Pública “Pela Preservação dos Serviços de Análises Clínicas Privados”

Petição pública – Pela preservação dos Serviços de Análises Clínicas Privados 27/03/2024 Juntando-se à APAC nesta iniciativa crucial para o futuro do ramo em Portugal, o LAC-GAIA vem apelar à participação de todos nesta acção de defesa dos direitos dos analistas clínicos e do bem-estar dos cidadãos portugueses, pela preservação dos serviços de análises clínicas […]

1 em cada 3 homens tem vírus do papiloma humano (HPV)

1 em cada 3 homens tem vírus do papiloma humano (HPV) 12/03/2024 As doenças sexualmente transmissíveis estão com tendência crescente. Um relatório recente da The Lancet Global Health indicou que, em todo o mundo, quase um em cada três homens com mais de 15 anos está infectado com pelo menos um tipo do vírus do […]

Bactérias intestinais podem potenciar ou prevenir a diabetes

Bactérias intestinais podem potenciar ou prevenir a diabetes 22/02/2024 O homem tem no seu trato gastrointestinal triliões de bactérias, já tendo sido estabelecida uma relação entre microbioma intestinal e estado de saúde. Estudos demonstraram que os microbioma intestinal é mais saudável ​​quando composto por bactérias mais diversas, por exemplo, e que desequilíbrios no microbioma, ou […]

PME Excelência 2022

PME Excelência 2022 24/01/2024 Na sequência da qualidade do seu desempenho e perfil de risco, o LAC-GAIA foi distinguido como PME Excelência 2022. Esta distinção, atribuída pelo IAPMEI, em parceria com um conjunto de bancos parceiros e das Sociedades de Garantia Mútua, tem por objectivo distinguir as pequenas e médias empresas em Portugal que apresentem desempenhos superiores. […]

Sono e doença cardiovascular

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Uma vacina de tecnologia mRNA criada pela primeira vez para uma bactéria letal

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Rastreio do colo do útero

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Dia Europeu do Laboratório Clínico

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Obesidade e risco de cancro

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Um corante alimentar comum na origem de doenças inflamatórias intestinais

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

NOVO POSTO DE COLHEITAS

CLÍNICA MÉDICA LARGO SOARES DOS REIS

RUA GIL EANES, 32
4400-165, VILA NOVA DE GAIA

JÁ ABRIU