Mel e saúde cardiometabólica

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

A solidão e o isolamento social aumentam o risco de insuficiência cardíaca

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

OMS alerta para os riscos dos adoçantes artificiais

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

“Global Medlab Week”

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Um novo biomarcador para o diagnóstico precoce da doença de Alzheimer

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Dia Mundial do Rim

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

Dia Internacional de Consciencialização sobre o HPV

Num estudo randomizado controlado publicado no Journal of Clinical Endocrinology & Metabolism, uma equipa chinesa mostrou que o jejum intermitente podia levar à remissão completa de diabetes em pacientes diagnosticados com diabetes de tipo 2.

O estudo incluiu 32 indivíduos com idades entre os 38 e 72 anos diagnosticados com diabetes de tipo 2. Os participantes foram aleatoriamente divididos em dois grupos: um grupo controlo que não foi sujeito a nenhuma intervenção, e um grupo que realizou um jejum intermitente durante três meses.
Os investigadores acompanharam os dois grupos em 2 momentos: 3 meses e 12 meses após a intervenção para recolher dados, nomeadamente remissão do diabetes, níveis de HbA1C, glicemia em jejum, pressão arterial, peso, qualidade de vida e gastos com medicamentos.

No acompanhamento aos 3 meses, quase 50% dos participantes do grupo de jejum intermitente alcançaram a remissão do diabetes. Por outro lado, os indivíduos desse mesmo grupo reduziram em média o seu peso corporal em quase 6 kgs.
No acompanhamento aos 12 meses, mais de 44% dos participantes do grupo de jejum intermitente apresentaram uma remissão estável do diabetes. Por outro lado, os encargos com medicação no grupo de jejum foram quase em 80% inferiores aos do grupo controlo.

O diabetes de tipo 2, como outras doenças metabólicas, coloca os pacientes em maior risco de desenvolver doença cardiovascular. A perda de peso, a dieta e o exercício físico contribuem decisivamente ao controlo do diabetes tipo. Como observaram os autores do estudo, o jejum intermitente pode ajudar milhões de pessoas com diabetes tipo 2 a alcançar a remissão e reduzir seus custos com medicamentos. Embora o estudo tenha incidido num grupo relativamente pequeno, os resultados têm implicações importantes para pacientes com diabetes e para a comunidade médica em geral.

NOVO POSTO DE COLHEITAS

CLÍNICA MÉDICA LARGO SOARES DOS REIS

RUA GIL EANES, 32
4400-165, VILA NOVA DE GAIA

JÁ ABRIU